segunda-feira, março 22, 2010

Sem comentários














De onde vieste tu com todo esse encanto? E quem te mandou vir mexer com tudo o que me pertence?
Caíste-me do nada para me por em momentos onde tu és tudo. Onde as palavras perderam o sentido na tua presença. Encheste-me um corpo incrédulo de sentimentos doces que me fizeram fechar os olhos com vontade de não os abrir mais. Queria tudo de ti. Sentir-te a presença no íntimo. Na sua essência. Nua e crua. Feliz e pura.
Os dias andam repletos da tua falta. E eu não contesto isso. Só contesto os momentos em que comigo estas, onde o tempo desobedece à minha vontade o mandar parar.
Da tudo de ti para um homem que se enche de desejo a cada segundo que te imagina. Que se sente envolto de uma atracção mais do que normal. Consome um sentimento que quer crescer no sentido da euforia. Liberta tudo o que tens. E cai de cabeça naquilo que eu sou. Na desgraça. Medo. Loucura. Êxtase. Sorrisos. Segredos. Abraços. Beijos. Horas perdidas cheias de sentido. Marcas pelo corpo. Vontade de ti. Desejo de nós.
De onde vieste tu? E quem te mandou vir mexer com tudo o que me pertence?
(acho que fui eu…)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial